No ano em que se assinala o centenário do nascimento de Pedro Soares, as Edições «Avante!» associam-se a essas comemorações com a publicação de três obras suas num só livro: Tarrafal, Campo da Morte Lenta, publicada clandestinamente em 1947 e na legalidade em 1977 pelas Edições «Avante»; Bento Gonçalves, Organizador do Partido, escrita em 1966 e publicada em brochura clandestinamente em 1971, por ocasião dos 50 anos do PCP; Herdeiros e Continuadores do Anarquismo, escrita em Fevereiro de 1972 e publicada, já depois do 25 de Abril, pela Seara Nova em 1975.
Pedro Soares passou 12 anos nas prisões fascistas, 6 dos quais no Campo de Concentração do Tarrafal, onde esteve submetido ao regime de trabalhos forçados. Começou a luta contra o fascismo aos 16 anos de idade. Foi preso 5 vezes, a primeira quando tinha 19 anos. Nestas várias prisões foi brutalmente torturado. Evadiu-se da cadeia da PIDE do Porto em Outubro de 1954, para retomar o seu lugar na luta, e participou na célebre fuga colectiva do Forte de Peniche, a 3 de Janeiro de 1960. Foi um dos reorganizadores da Federação das Juventudes Comunistas e, de modo particular, do sector estudantil de Lisboa. Participou na reorganização do Partido em 1941-1942. Faleceu em 1975, tinha 40 anos de Partido, 22 de vida clandestina e era membro do Comité Central há 22 anos.
A publicação destes seus Escritos Políticos é uma justa homenagem a Pedro Soares, que lutou até ao fim da sua vida pela causa da democracia, da liberdade, do socialismo e do comunismo.

 
Não há novos eventos