Na vasta obra do irlandês Liam O’Flaherty, Insurreição evidencia-se como um dos melhores, ou mesmo o melhor, dos seus romances. O tema do livro é a heróica Revolta da Páscoa de 1916, em Dublin, contra o secular jugo imperial britânico. São admiráveis a rapidez e a tensão da narrativa, a emoção que a enforma, a poesia que simultaneamente suaviza o horror e o aviva, a compreensão psicológica das personagens. Liam O’Flaherty (1896-1984) é um dos nomes maiores da literatura irlandesa, tendo publicado 36 livros, entre romances e contos, de que se destacam, além de Insurreição, o seu último romance, O Delator (que se transformou num dos grandes clássicos do cinema graças à adaptação de John Ford) e Fome. Fez parte da fundação do Partido Comunista da Irlanda e foi director do seu jornal semanal Workers’ Republic. 

 

 
Não há novos eventos